quarta-feira, 2 de setembro de 2015

IBGE Divulga Estimativas Populacionais

O DOU (Diário Oficial da União) trouxe na última sexta-feira, dia 28, as mais novas estimativas da população brasileira feitas pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Pelos novos números, o País já conta com mais de 204 milhões de habitantes.
Entre outros objetivos, as estimativas feitas pelo IBGE são usadas para o cálculo das cotas do Fundo de Participação de Estados e municípios. Os dados têm data de referência em 1º de julho de 2015 e estão organizados por Estados, Distrito Federal e municípios.
A pesquisa do IBGE também apontou 56,1% da população vive em 304 das 5.570 cidades do País. São 114,6 milhões de habitantes que vivem em apenas 5,5% dos municípios.
O País também conta com 41 municípios com mais de 500 mil habitantes, concentrando 29,9% da população (61,2 milhões de habitantes). Já as cidades com até 10 mil habitantes (44% dos municípios) contam com apenas 6,3% da população (1,4 milhão). São 2.451 municípios nestas condições.

https://pbs.twimg.com/media/CNg3MppWgAAr0p9.jpg

Regiões metropolitanas

As RMs (regiões metropolitanas) do País concentram, em 2015, 45,6% da população brasileira. A maior é a RM de São Paulo, com 21 milhões de pessoas, cerca de metade da população de todo o Estado. Em seguida, as RMs com maior número de habitantes são a RM do Rio de Janeiro (12 milhões), RM de Belo Horizonte (5,8 milhões), RM de Porto Alegre (4,2 milhões) e a Ride (Região Integrada de Desenvolvimento do Distrito Federal e Entorno), com 4,2 milhões de habitantes.

Redução

De todos os municípios brasileiros, 24,5% apresentaram redução populacional entre 2014 e 2015. O município que mais perdeu habitantes, proporcionalmente, foi Severiano Melo (RN), com -9,01%, seguido de Japurá (AM), com -8,47%.
Apenas 65 municípios apresentaram crescimento superior a 3,0%. Os demais apresentaram crescimento abaixo desta taxa. A cidade com a maior taxa de crescimento entre 2014 e 2015 foi Brejo de Areia (MA), com elevação de 113,72%, seguido de Juazeiro do Piauí (PI) (11,23%) e Banzaê (BA) (9,17%). Os três municípios tiveram mudanças em seus limites territoriais, o que contribuiu para a elevação no número de habitantes.




ANO
CAMACÃ
BAHIA
BRASIL
 1991
37.023
11.867.991
146.825.475
1996
32.577
12.472.894
156.032.944
2000
31.055
13.070.250
169.799.170
2007
30.289
14.080.654
183.987.291
2010
31.472
14.016.906
190.755.799
2015
33.197
15.203.934
204.450.649
 
 Estimativas 2015 - Brasil e Unidades da Federação.

Metodologia

Para chegar a estes números, o IBGE não realizou um novo censo demográfico, portanto, não visitou os domicílios para entrevistar as pessoas, como fez em 2010. Naquele ano, o IBGE realizou um levantamento minucioso de todos os domicílios do país. Nos meses de coleta de dados e supervisão, 191 mil recenseadores visitaram 67,6 milhões de domicílios nos 5.565 municípios brasileiros para colher informações sobre quem somos, quanto somos, onde estamos e como vivemos.
Este ano, o modelo adotado para estimar os contingentes populacionais dos municípios brasileiros emprega metodologia desenvolvida pelos demógrafos Madeira e Simões (1972), na qual se observa a tendência de crescimento populacional do município, entre dois censos demográficos consecutivos, em relação à tendência de crescimento de uma área geográfica hierarquicamente superior (área maior).
O método de tendência de crescimento demográfico adotado tem como princípio fundamental a subdivisão de uma área maior, cuja estimativa já se conhece, em n áreas menores, de tal forma que seja assegurada ao final das estimativas das áreas menores a reprodução da estimativa, previamente conhecida, da área maior através da soma das estimativas das áreas menores.
As estimativas das populações dos municípios com data de referência em 1º de julho de 2015, utilizou como área maior na aplicação da metodologia, as Unidades da Federação projetadas pelo método das componentes demográficas.

Referências: 

http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/populacao/censo2010/

http://noticias.r7.com/brasil/populacao-do-brasil-cresce-e-chega-a-cerca-de-204-milhoes-de-habitantes-estima-ibge-28082015

ftp://ftp.ibge.gov.br/Estimativas_de_Populacao/Estimativas_2015/nota_metodologica_2015.pdf

ftp://ftp.ibge.gov.br/Estimativas_de_Populacao/Estimativas_2015/estimativa_dou_2015.pdf
 

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Por Trás da Mídia Mundial: Black Friday é um Crime Contra a Humanidade?


Há aproximadamente 190 mil pessoas na China que estão atualmente trabalhando em campos de trabalho escravo. Entre eles estão pequenos infratores, como viciados em drogas, ladrões e prostitutas. Atualmente, 75% dos brinquedos são feitos na China, e estes brinquedos estão sendo montados em condições que fariam o americano médio encolher de pavor. Então, por que temos tantos consumidores que apoiam isso, consciente ou inconscientemente? Os campos de trabalho chineses realmente tem mulheres e crianças que são forçadas a trabalhar 7 dias por semana e às vezes 20 horas por dia. Essas fábricas são lares de empresas norte-americanas que obtêm lucros exorbitantes do trabalho escravo de mulheres e crianças - e você está pagando por isso.


Os cidadãos americanos passam suas vidas com uma vaga ideia de onde seus produtos vêm. Quer se trate de vestuário como a Nike, Adidas ou brinquedos feitos pela Disney ou McDonald´s. As pessoas perderam a noção da realidade, já que as pessoas ou são ignorantes, ou simplesmente não se importam que a maior parte dos produtos que compram (especialmente durante a Black Friday) são de fato de fábricas prisionais como a Foxconn.

A Foxconn é uma das  fábricas em Taiwan que montam os produtos da Apple, como os iPhones. Em 2010, um relatório feito por mais de 20 universidades na China afirmou que "Os trabalhadores reclamaram para os pesquisadores que as linhas de montagem correm muito rápido, e que eles foram obrigados a concluir todos os procedimentos em exatamente dois segundos. Os trabalhadores não são autorizados a falar, sorrir, sentar, andar ou se mover desnecessariamente durante suas longas horas de trabalho, que os obrigam a terminar 20.000 produtos todos os dias."

Em 2000, o  McDonald´s foi forçado a "investigar" afirmações de que trabalho infantil estava sendo utilizado em uma de suas fábricas chinesas de brinquedos. Uma vez mais, descobriu-se que o trabalho infantil estava sendo usado, e as crianças estavam trabalhando 16 horas por dia , 7 dias por semana e que ganhavam menos de US$25 por mês.

Para se ter uma ideia dos números surpreendentes que cercam a Black Friday, vamos examinar um pouco as estatísticas a partir de 2011. Em 2011, mais de 226 milhões de pessoas compraram na Black Friday, seja online ou em uma loja física. Além disso, os consumidores gastaram o equivalente a $ 11,4 bilhões de dólares no dia da  Black Friday, com um total de $52,4 bilhões de dólares só naquele fim de semana.

O chamado feriado americano é na mesma semana em que os americanos dão graças ao que já tem, inclusive liberdade e riqueza, que agora está em declínio devido à destruição da indústria e manufatura americana, que foram enviadas ao exterior. As pessoas que participam das loucuras de compras, simplesmente não parecem alcançar o entendimento de que uma grande quantidade de violações dos direitos humanos ocorrem nas fábricas, quer se trate de uma fábrica exploradora (sweatshop) ou campos de trabalho, onde seus amados produtos são produzidos.

De acordo com numerosos estudos e investigações, a maioria das fábricas - e especialmente os campos de trabalho (os quais estão em sua grande parte localizados nos arredores de Hong Kong, onde os negócios são fechados) - são constantemente descobertas violando as leis trabalhistas chinesas, as leis dos direitos humanos da ONU e até mesmo os códigos éticos das próprias corporações, tudo para aumentar os lucros das sociedades, bem como a necessidade dos americanos para em satisfazer seus desejos materialistas.

O Black Friday não parece estar diminuindo. Na verdade, este ano o Black Friday tornou-se Black Thursday pela primeira vez na história (nos EUA). Portanto, agora os americanos têm um dia a mais para desfrutar de suas "economias" em brinquedos feitos pelos trabalhadores chineses que sofreram dia após dia para montar, tudo isso enquanto ainda lutam para alimentar suas famílias.

 Link da postagem original: http://www.anovaordemmundial.com/2013/11/black-friday-e-um-crime-contra.html

Traduzido por Jahaísa e Admin

Fontes:
Activist Post: Consider: Is Black Friday is a Crime Against Humanity?
South China Morning Post: Foxconn factories are labour camps: report
http://www.scmp.com/article/727143/foxconn-factories-are-labour-camps-report